Gadget feito do site Bíblia Online


6.4.09

O sonho que sonhei essa noite



Uma coisa rara me aconteceu hoje, consegui sonhar durante o sono. Sonhei que estava numa praia, sentado à beira olhando as ondas que chegavam cada vez mais perto. Durante a contemplação do mar, me senti como se estivesse em paz, não que eu não esteja, mas era um tipo de paz que talvez seja diferente do que as pessoas comumente chamam de paz. A paz que estava sentindo era uma espécie de ausência de problemas, ausência de emoções, ausências de pensamentos, preocupações, sons, necessidade e tudo que pudesse atrapalhar esse momento de contemplação total.

Senti que estava tudo em silêncio, não se ouvia nem o barulho dos ventos, do próprio mar e das aves, não se via ninguém na praia. Apenas eu, o sol, a praia, o mar e o silêncio. Era um silêncio absoluto!

Ouvir o silêncio daquela forma me trouxe uma série de reflexões durante o sonho. Tente entender! Eu sonhei e no sonho tive reflexões! Que doidera...!! Refleti sobre como a vida é barulhenta e por mais que amamos as pessoas e temos prazer em tê-las por perto, o silêncio absoluto conseguido quando se está sozinho é maravilhoso. É de fato um momento de contemplação, desfrutar do silêncio que produz paz. Não pensar em nada, esvaziar a cabeça por um instante, não sentir nada, nem fome e nem sede, nada. Que sensação maravilhosa senti durante meu sonho, pelo que me lembro, nunca tive um sono tão tranquilo como o dessa noite.

Apesar dos problemas que nos cercam, apesar das loucuras do dia a dia, das viagens, das contas que não param de chegar, dos problemas que não param de se multiplicar, ainda assim consegui ter um sono em paz. Não sei porque, mas nada de surpreendente me aconteceu por esse dias para me sentir assim, nada de especial que pudesse produzir um sentimento tão reconfortante. Queria dizer que tive um motivo especial para me sentir assim, mas não tive.

Que todos tenham a chance de dormir o sono da paz, que todos possam sonhar os sonhos da paz e descansar em paz. Até porque não há nada que possamos fazer para mudar o imutável senão, confiar, trabalhar e esperar.


(em 06 de abril de 2009, em algum lugar no imaginário)

Nenhum comentário: